Presidente de Gana quer que descendentes de negros africanos “voltem” para a África

O presidente do Gana, Nana Akufo-Addo, convida os descendentes de negros africanos a “voltarem” para a África.

O presidente do Gana, Nana Akufo-Addo deseja e está trabalhando para que os “africanos da diáspora”, como ele denomina os descendentes dos escravos africanos vendidos a outros continentes, visitem e passem a residir naquele país. Com este objetivo, o governo de Gana criou uma campanha para tornar mais fácil para eles retornarem à “Terra-Mãe”.

2019 marca 400 anos, afirma o site Travel Noire, desde que os primeiros africanos foram arrancados de suas famílias e forçados à escravidão. 77 milhões de pretos africanos foram enviados como negros para o Caribe e outras regiões da América. A maioria dessas pessoas veio de países da África Ocidental, então conhecida como Costa do Ouro. Gana está agora chamando “seu povo” para visitar e, espera, viver.

No Brasil, negros africanos passaram a conviver com negros índios (alcunhados pelos portugueses de “negros da terra”), sendo empregados especialmente no trabalho agrícola. Esta convivência também resultou em intensa mestiçagem.

A iniciativa, conhecida como “Ano do Retorno, Gana 2019”, é liderada pelo Gabinete da Diáspora e apoiada pelo presidente Nana Akufo-Addo. Para o ano de 2019, haverá uma série de eventos, festivais e atividades de boas-vindas, incentivando aqueles “em sua jornada espiritual de direito de nascimento”.

“O Ano do Retorno, Gana 2019” celebra a resiliência cumulativa de todas as vítimas do tráfico transatlântico de escravos que foram espalhadas e deslocadas pelo mundo na América do Norte, América do Sul, Caribe, Europa e Ásia, afirma o site. Foi anunciado em setembro de 2018, mas foi oficialmente lançado em dezembro de 2018 no Full Circle Festival de Gana. Boris Kodjoe, Michael Jai White, Djimon Hounsou, Anthony Anderson e Jidenna eram apenas algumas das estrelas de Hollywood que participaram. Em julho de 2019, um festival pan-africano de artes e cultura terá lugar em todo o país e uma cerimônia de “cura e expiação” terá lugar no Dia da Emancipação em agosto.

Como parte de uma campanha de um ano de duração, 200 pessoas afro-americanas e afro-caribenhas que vivem em Gana ganharão cidadania. As taxas de visto também foram reduzidas de US$ 150 para US$ 75. O objetivo é tornar mais fácil para aqueles que estão na diáspora viajar para Gana. Eles estão também fazendo parcerias com companhias aéreas.

Há toneladas de eventos de “Ano do Retorno” programados durante todo o ano de 2019 com Afrochella em 28 de dezembro, sendo a maneira perfeita de coroar o ano, enfatiza o site.
Compartilhe no Google

Adenilton Cerqueira

Adenilton Cerqueira é diretor de conteúdo do Portal Black Brasil, curador digital e produtor de conteúdo especializado em questões étnicas. Bastante contestador ele é consciente do seu propósito e exerce sua liberdade por meio da escrita. Contato: revistaafrobahia@yahoo.com.br