82% da região Norte do Brasil não tem serviços de saneamento básico




Região é uma das mais pobres do país e a mais afetada pela falta de acesso a serviços de saneamento básico

A crise no país tem afetado boa parte da população brasileira. Mas algumas regiões do Brasil parecem ter sido esquecidas pelo poder público há tempos. O Norte e o Nordeste são as regiões que mais sofrem com a pobreza e a falta de serviços públicos.

Na região Nordeste, 49,9% da população vivia com até meio salário mínimo per capita em 2017. Na região Norte, eram 48,1%. Resultados muito diferentes dos observados nas outras regiões: Sul (15,6%), Sudeste (21,4%) e Centro-Oeste (21,5%). Os dados são do relatório ‘Síntese de Indicadores Sociais – Uma Análise das Condições de Vida da População Brasileira 2018′, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



Gráfico divulgado pelo IBGE

A restrição a diversos serviços públicos também é maior nas regiões Norte e Nordeste, principalmente aos serviços relacionados a saneamento básico.

A restrição a serviços de saneamento básico atinge 82,3% da população do Norte e 58,8% da população do Nordeste.



Gráfico divulgado pelo IBGE

A maior restrição de acesso ao serviço de coleta de lixo foi verificada no Maranhão (32,7% da população não tinha acesso a esse serviço).

Em relação ao abastecimento de água por rede, a Unidade da Federação com maior restrição, em 2017, era Rondônia, onde 54% da população não tinha acesso a esse serviço.

Por sua vez, o Piauí registrou a maior proporção da população sem acesso a esgotamento sanitário por rede coletora ou pluvial (91,7%).

O estado de São Paulo registrou a maior cobertura para cada um dos serviços.
Compartilhe no Google

Adenilton Cerqueira

Adenilton Cerqueira é diretor de conteúdo do Portal Black Brasil, curador digital e produtor de conteúdo especializado em questões étnicas. Bastante contestador ele é consciente do seu propósito e exerce sua liberdade por meio da escrita. Contato: revistaafrobahia@yahoo.com.br