Flávio Dino: a violência fascista está nas ruas



O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) elencou três episódios, que, segundo ele, demonstra o fascismo no Brasil.

"Um dia de domingo: cidadão é fuzilado por 'equívoco'; mulher é agredida por 3 homens em face de posições políticas; jornalista da TV é ameaçado de morte em razão de reportagem. Essa é uma característica do ethos fascista: a violência", escreveu o chefe do Executivo maranhense no Twitter.

De acordo com reportagem do jornalista Carlos de Lannoy, veiculada no programa Fantástico, agentes do Exército fuzilaram um carro por teriam se deparados com um tentativa de assalto e confundiram o veículo com o de supostos bandidos. O motorista Evaldo Rosa dos Santos, 51, morreu.

O repórter foi ameaçado de morte. No Instagram do jornalista, o advogado no Rio Grande do Norte Erick Procópio escreveu: "Se você escolher falar merda e defender bandido é escolha sua. Seu merda! Se for errado paga com a vida! Mexeu com o exército, assinou sua sentença! Sua família vai pagar! Aguarde as cartas".
No caso da mulher agredida, um grupo de homens bolsonaristas que defendia a Operação Lava Jato na avenida Paulista, neste domingo (08), agrediu ela, que é manifestante pró-Lula. A mulher ainda foi levada algemada por policiais militares.


Compartilhe no Google

Adenilton Cerqueira

Adenilton Cerqueira é diretor de conteúdo do Portal Black Brasil, curador digital e produtor de conteúdo especializado em questões étnicas. Bastante contestador ele é consciente do seu propósito e exerce sua liberdade por meio da escrita. Contato: revistaafrobahia@yahoo.com.br