Nordeste será a área mais afetada pela saída de médicos cubanos


'Durante toda a campanha, Bolsonaro ofendeu e fez até ameaças aos médicos cubanos'


Com a saída de Cuba do programa Mais Médicos, presidente eleito não explica como vai repor os profissionais vindos da ilha, que respondem por 113 milhões de atendimentos. Medida afeta moradores mais pobres em locais para os quais os médicos do Brasil não querem ir.

- de uma só vez, sairão mais de 8.500 médicos cubanos dos locais onde estão hoje trabalhando.
- eles estão em 2.885 municípios do país, sendo a maioria nas áreas mais vulneráveis: Norte do país, semiárido nordestino, cidades com baixo IDH, saúde indígena, periferias de grandes centros urbanos.

https://www.primaveranoticias.com/2017/09/a-vida-boa-da-carmelita-acabou-quando.html

- 1.575 municípios só possuem médicos cubanos do Programa, sendo que 80% desses municípios são pequenos (menos de 20 mil habitantes) e localizados em regiões vulneráveis.
- existem 300 médicos cubanos atuando nas aldeias indígenas. Isso representa três quartos dos médicos que atuam na saúde indígena do país.
- os locais onde os cubanos atuam foram oferecidos antes a médicos brasileiros, que não aceitaram trabalhar.


- sobre a substituição dos cubanos por médicos brasileiros: em 5 anos de Programa, nenhum edital de contratação de médicos brasileiros conseguiu contratar essa quantidade de profissionais. O maior edital contratou 3 mil brasileiros.



Compartilhe no Google

Adenilton Cerqueira

Adenilton Cerqueira é diretor de conteúdo do Portal Black Brasil, curador digital e produtor de conteúdo especializado em questões étnicas. Bastante contestador ele é consciente do seu propósito e exerce sua liberdade por meio da escrita. Contato: revistaafrobahia@yahoo.com.br