Patroa chama zeladora de "preta fedida" e a obriga a usar desodorante

Uma mulher negra de 33 anos, zeladora de uma casa no município de Sinop, MT, denunciou a patroa por racismo. Em pleno 2018, casos absurdos como esse de racismo ainda são recorrentes.

A trabalhadora estava cumprindo suas funções quando foi chamada pela patroa para um dos quartos da casa, onde foi chamada de "preta fedida" e então foi obrigada a passar desodorante, com a patroa erguendo seus braços para passar o produto.

Isso tem nome. É racismo. Em pleno 2018, século XXI, ainda existem "patroas" que se sentem no direito de humilhar e opinar sobre os corpos negros. Isso é inadmissível.

O racismo existe e dá claros sinais cotidianos de que teima em seguir se perpetuando. E como impedir que ele siga se enraizando, por fora de combater essa sociedade desigual em que os negros são justamente aqueles que ocupam os piores postos de trabalho e recebem os piores salários?


http://www.primaveranoticias.com/2017/09/a-vida-boa-da-carmelita-acabou-quando.html
É preciso acabar com essa sociedade apodrecida que tem seu avanço estagnado por este modo de produção atrasado e que gera ideologias como essa.

Pelo fim do racismo e do capitalismo!

Fonte: Esquerdadiario

Campanha de assinaturas solidárias da Black Brasil. Veja como apoiar

 
Black Brasil © 2006 - Mostrando o que a grande mídia não vê - Whatsapp (71) 99249-7473 -